Google+ Na Estante da Biblioteca: Passou Pela Estante: A menina que roubava livros

sábado, 5 de outubro de 2013

Passou Pela Estante: A menina que roubava livros

         
                       Notas:*

                  Enredo: 10 

                 Qualidade:  10

                     Leitura:  10

                   Gramática: 10









                                             Sinopse:

                 Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a morte três vezes. E saiu suficientemente viva das três ocasiões para que a própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história, em 'A menina que roubava livros'. Desde o início da vida de Liesel na rua Himmel, numa área pobre de Molching, cidade próxima a Munique, ela precisou achar formas de se convencer do sentido de sua existência. Horas depois de ver seu irmão morrer no colo da mãe, a menina foi largada para sempre aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann, um pintor desempregado e uma dona-de-casa rabugenta. Ao entrar na nova casa, trazia escondido na mala um livro, 'O manual do coveiro'. Num momento de distração, o rapaz que enterrara seu irmão o deixara cair na neve. Foi o primeiro dos vários livros que Liesel roubaria ao longo dos quatro anos seguintes. E foram esses livros que nortearam a vida de Liesel naquele tempo, quando a Alemanha era transformada diariamente pela guerra, dando trabalho dobrado à Morte. O gosto de roubá-los deu à menina uma alcunha e uma ocupação; a sede de conhecimento deu-lhe um propósito. E as palavras que Liesel encontrou em suas páginas e destacou delas seriam mais tarde aplicadas ao contexto da sua própria vida, sempre com a assistência de Hans, acordeonista amador e amável, e Max Vanderburg, o judeu do porão, o amigo quase invisível de quem ela prometera jamais falar. Há outros personagens fundamentais na história de Liesel, como Rudy Steiner, seu melhor amigo e o namorado que ela nunca teve, ou a mulher do prefeito, sua melhor amiga que ela demorou a perceber como tal.


                                                          Comentários:*

 Um dos melhores livros do universo! Como uma grande fã da Segunda Guerra Mundial devo deixar explícito que este livro merece total respeito e admiração. Quem um dia imaginaria que a morte narraria uma história? Confesso que é um livro grande e demora um pouco para acabar a leitura mas depois que você lê-lo você pensa: "Não existe livro melhor no mundo inteiro!" Eu peguei emprestado com uma amiga mas eu TENHO que comprar e ler novamente. Estou apaixonada pela história e pelos personagens. Devo dizer também que nunca chorei tanto lendo um livro, nem mesmo "A Culpa é Das Estrelas" me fez chorar tanto. Caro amante de livros você não pode morrer sem ler este livro! Não podem! Meu coração está com Liesel, com Rudy, Com Max, com Hans e até mesmo com Rosa. Nunca uma história me prenderam tanto. Fiquei com receio no início pois o Markus Zuzak é um autor bem jovem e achei que não gostaria mas agora eu digo: Meu livro favorito!Por favor leiam e depois me contem o que acharam. 
                              #OVigiador  #ASacudioraDePalavras
  

*Opinião da "Estante na Biblioteca"
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...